Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Este é dos textos mais difíceis...

Este é um dos textos mais difíceis de escrever....

Se repararem nos últimos dias tenho estado ausente, e não é por vontade própria. 

Faz praticamente um ano que escrevi aqui um bocadinho sobre isto mas nada de muito detalhado, hoje, pensei que para expurgar os meus demónios vou explicar-vos em detalhe o que é o síndrome vertiginoso.

 

Imaginem aquela sensação que todos quando éramos crianças adorávamos, que estão num baloiço. Lembram-se de como era giro fechar os olhos e sentir aquela sensação? Para trás e para a frente, esticar as pernas e dar mais balanço?

E de vez em quando lá vinha alguém que nos punha a rodar a fazer círculos, para depois desenrolar as cordas muito depressa... 

Imaginem isto, a todos os segundos, a todos os minutos, a todas as horas e dias em que dura uma crise. 

Pois. É isso. 

 

O síndrome vertiginoso pode ser causado por diferentes patologias, a minha VPPB ( Vertigem Posicional Paroxística Benigna, deixem-me que vos diga que de benigna não tem nada)....

Pode ser causado por síndrome de ménière (criação de líquido no ouvido interno)... Por uma infinidade de coisas...

Mas em qualquer uma das patologias é debilitante. 

Debilitante ao ponto de não se conseguir comer, dormir, andar sem vómitos ou sensação de quase loucura.

Sim porque o nosso cérebro está tão ocupado a processar as vertigens que o discurso fica afectado, a compreensão também... Não retemos informação, a memória não funciona. 

E isto visto de fora, a não ser quando ficamos verdes, e vomitamos, não se vê.... E isso é o pior.

Para quem está de fora e não percebe do que se trata é alvo de gozo, alvo de frases do género, ah mas isso é só uma tontura... Não percebem que a sensação é a de estar num chaker a ser mexida a alta velocidade. 

Andar de carro é o inferno, o efeito túnel aí é imenso, estar parada e não saber se estamos parados ou a andar... ui experiência do melhor... só que não. 

 

Para mim piora porque além dos sintomas físicos não suporto estar tão debilitada. 

Quem me conhece sabe que não mostro facilmente as minhas fraquezas, esta doença deixa-me de joelhos, agarrada a uma infinidade de horas sem poder fazer nada, sem poder trabalhar. 

A sorte é que o meu empregador sabe do que se trata e que isto é algo incontrolável... Mas há sempre o receio... e se as pessoas acham que somos mariquinhas? Que é tudo balelas? Há pessoas que sofrem disto e não têm a mesma sorte que eu.

A minha família apoia, sabe o quanto me custa....

No meu caso a VPPB não permite prevenção ou medicação preventiva, aliás ninguém sabe o motivo de os cristais se deslocarem. Há quem diga que é o magnetismo da terra, o tempo, a alimentação, vitamina d... Eu já testei uma série de coisas, e com a vitamina d as crises diminuíram, até à desta semana... 4 dias... 

E nestes dias, além do mau estar físico é preciso muita força para não ir abaixo, pensar tudo o que de pior há...

Estou a escrever este texto há 14 minutos e já não dá muito mais...

Imaginem isto num trabalho como o meu e em que preciso transmitir ordens de alguns milhares de euros com número específicos? Pode dar asneira da grande. 

É isto... Hoje já estou um bocadinho melhor mas ainda nada de funcional.

Por aí quem esteja a passar pelo mesmo muita força.

 

Beijinhos

Marta

 

 

 

  • 27 comentários

    Comentar post

    Pág. 1/2