Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Mãos à Obra #16

Já vos tinha falado aqui que descobri as melhores musas para inspiração no que toca a organiação e limpeza...

Todos os domingos tenho-me perdido no youtube a ouvir dicas incansávelmente.

E... começa a dar os seus resultados.

Tenho analisado e descoberto coisinhas que posso reciclar e que de outro modo iriam para o lixo em tudo, nas embalagens de esparregado... Já repararam que dá perfeitamente nos recipientes de plastico com as separações em quadrados, para colocar clipes, elasticos e este tipo de material numa gaveta tudo organizado?

Reaproveitei um, estou a pensar pintá-lo de banco com tinta spray e adaptá-lo, mas também dá por exemplo para fazer os nossos cubinhos de azeite e ervas...

Tanta coisa que até afora tenho enviado para o lixo e não vi o potencial.

Outra que descobri também foram as embalagens onde vem o sushi. São brutais para organização de rolos de fita cola decorativa ou fitas por exemplo. 

 

Eu e o Carl adoramos sumos da Compal, no outro dia estava a olhar para a embalagem de vidro e a pensar como poderia adaptá-la, quase no mesmo dia tropecei nisto no Pinterest (teria de ser claro). 

 

Olhem que ideia gira e simples de recriar. 

Já tinha dito ao Carl que quero ter sempre flores frescas em casa, adoro... Esta ideia vai permitir espalhá-las pela casa e deve ficar linda com tinta dourada ou rose gold. 

 

 

É especialmente fácil de fazer, com elásticos ou tinta que se utiliza para proteger superfícies para pintar, basta colocar os dois ou cada um deles, nas áreas que não queremos ver pintadas, assim:

 

 

Proteger a parte superior se não a quiserem pintada com prata por exemplo:

 

 

E spray awayyyy:

 

 

Mais detalhes no blog onde encontrei o tutorial.

Que vos parece?

Oh Carnaval...

Vai dar uma volta ao bilhar grande...

É só isto. 

 

O meu espirito de carnaval não está morto, ele simplesmente nunca existiu. 

Não acho piada, não gosto... 

Então quando tenho que trabalhar.... Ui detesto ainda mais. 

 

O caos de lisboa com transportes reduzidos. 

A ausência de pessoas excepto quem está na sala de mercados neste banco!

Está tudo às moscas e eu aqui. 

 

Bahhhh

Is anybody out there?? Hellooooooo , sinto-me a Rose do Titanic. 

 

Beijinhos a quem está a trabalhar para quem foi para borga e está a dormir...

Rosnar para vocês...

(só tenho mesmo pena de não estar a dormir... snif)

 

Ellie & Carl #6

Só é amor, quando os dois, cuidam um do outro.

Só é amor, quando temos a certeza que o outro estará lá para nos amparar quando precisamos.

Só é amor se nos aceitarmos por inteiro, na perfeição, mas principalmente na nossa dualidade de seres também imperfeitos. 

Só é amor quando entendemos que há fases menos boas para cada um de nós, que essas fases são diferentes, e que é nessas alturas que mais temos de estar presentes para o outro.

Só é amor quando amamos e somos amados verdadeiramente.

Só é amor quando os dois sabem amar... na medida certa do que cada um de nós precisa. 

 

 

 

A primeira e única vez que falo sobre a questão dos refugiados.

Faço este post em desespero para extravasar. 

Ás vezes acho que sou de outro mundo. Que tenho ideias demasiado diferentes de toda a gente. Que há questões que defendo e com quais pouca gente se identifica da mesm forma.

 

Ora bem, para mim o nosso Planeta! É... simplesmente de todos nós!

Ora analisemos, se uma nação decidir arruinar com radioatividade ou poluição um determinado oceano ou ar, todas as outras serão afectadas obrigatoriamente, não há fronteiras nos oceanos, não há fronteiras no céu...

Por isso acho que todos os governos e líderes deste mundo (uns melhores que outros sim...) têm de ser responsáveis não só com os residentes do respectivo país, mas com todos nós, que vivemos neste Mundo. 

 

Tendo isto em conta é me muito doloroso quando vejo, pessoas que fogem de um país em guerra, para se protegerem a si e à sua família, serem escorraçadas...

E o argumento usado é idiótico, terrorismo... Não nego a existência dele, mas se analisarmos as estatísticas, são muito mais as pessoas como eu, o vosso vizinho, o meu/vosso professor, a minha/vossa amiga que fogem a uma guerra que não é deles, do que os terroristas com objectivo de se explodirem nos países europeus. 

 

Como? Como se nega essa oportunidade às pessoas? Ouço pessoas a falarem que me escandalizam, a dizer que deviam lá ficar que não têm nada que vir para Portugal... enfim... que deviam morrer todos afogados. Parte-me o coração...

Eu tenho a certeza que aquelas pessoas que ouço tão friamente a dizerem isso, caso a família delas estivesse em risco eram os primeiro a defendê-las com unhas e dentes, mesmo que isso implicasse atravessar um mar inteiro sem condições, entrar à socapa num país...

 

Mas quando leio que estes refugiados, sim são pessoas que deixaram tudo, o lar, a família, perderam amores, têm de anunciar agora no facebook a venda dos próprios orgãos para sobreviverem, desculpem... mas sinto que falhámos como humanidade.

Como? Como somos ser humanos que negam a outros a oportunidade de viver... 
Como é que os governos se prendem às fronteiras num mundo que se diz globalizado?

As fronteiras não existem, o planeta é de todos nós.

 

Temos de ser um para o outro, mas numa escala muito maior. 

Dói-me quando vejo as pessoas pensarem pequenino, ahhh vamos lá revoltar-nos com o governo para quê? quem vem a seguir que lide com eles... ah eu já cá não estou nessa altura nem quero saber...

São frases que me irritam os mais pequeninos pêlos do braço e de todo o corpo...

No futuro nós não estamos cá, mas os nosso filhos estarão, netos, sobrinhos, partes de nós estarão presentes no ADN deles... Como podemos não nos preocupar?

Detesto pensar em pequeno... detesto quando pensam no umbigo, detesto quando num mundo que se diz global há cada vez mais um piorar da globalização e um retrocesso à idade das trevas. 

 

Meus queridos, mantenham a mente aberta, pensem global, nunca se sabe quando seremos nós, os do hemisfério norte, os beneficiados, a precisar de invadir o hemisfério sul, nunca se sabe quando a roda da fortuna inverte e nos vemos na situação de refugiados e eu certamente vou gostar que naquela altura alguém me dê a mão, e não me obrigue a passar por situações desumanas. 

 

 

 

 

Ellie & Carl #5

Ela no meio de uma crise de nervos por estar doente: Gostas de mim???

Ele: Claro, muito.

Ela: Mas eu sou um empecilho, estou doente, não sirvo para nada...

Ele: Não sejas tonta, dá cá um abraço.

 

(abraço bom em que parece que o mundo à volta se dissolve e não existe mais nada, abraço que resolve quase todos os problemas deste mundo, abraço dele...)

Ela: *choramingando* Vais sempre cuidar de mim?

Ele: Para sempre e mais um dia. 

VPPB a sigla do demónio

Vertigem Posicional Paroxística Benigna... 

As quatro palavras que me atrofiam a vidinha...

 

Desde 2008 que tenho vindo a ter sindromes de vertigens por causa desta coisa, as vezes é algo que deixa alguém tonto durante 1 minuto, as minhas crises  no entanto, chegam a durar 3 dias. 

 

É horrível, não tem prevenção a não ser uns exercicios de Brandt-Daroff mas que não garantem nada. 

Há teses que defendem que está associado ao magnetismo da Terra, estou por isso a pensar migrar para os Hexoplanetas...

 

Enfim.. isto porque, nos últimos 3 dias estive em alto mar e por isso ausente daqui. 

 

Estou de volta se possível para que não torne a acontecer no próximo ano. 

Veremos.


Beijinho

Para começar o dia ou melhorar um dia mau....

A música tem um efeito fantástico em mim. 

Consegue mudar o meu estado de espirito e provoca em mim emoções maravilhosas. 

Sou daquelas pessoas que consegue ouvir a mesma música 654643287431x sem qualquer problema.

Gosto de conhecer músicas novas. 

Gosto de ouvir uma música e emocionar-me com ela. 

 

Quando ouço música o meu mundo fica um bocadinho melhor, e depois há aquelas especiais, tantas que já partilhei aqui com vocês, que adoroooo assim de paixão. 

 

Para começar esta sexta-feira com o pé direito... aqui vai mais uma...

Os Aventura são assim uma coisa, eu e o Carl passámos tardes inteiras a ouvir a música deles... no inicio do namoro... recordações fantásticas que esta música me desperta!

 

 

 

 

Estou com a neura...

E pronto é isto... 

Têm sido muito menos os dias de neura felizmente...

Mas ainda acontecem. 


Tou com a neura. 

Queria estar em casa confortável, a ler o livro novo da Victoria Aveyard.. e estou enfiada no escritório a aturar gente incompetente e com pouca vontade de fazer o trabalho dela... 

Já me estou a imaginar enrolada numa mantinha, uma chávena de chá na mão, o tablet com o ebook noutra... E era isto...

Tão simples e tão complicado ao mesmo tempo...

Vou suspirar para ali um bocadinho e já volto. 

 

 

  • Pág. 1/3